Ponto de ouro

Um ponto para falar de fotografia…

Macro: a poesia do detalhe 21/02/2012

Filed under: Dicas para iniciantes,Dicas técnicas,Técnicas — simonezmr @ 21:21
Tags: , ,

Enquanto muitos gostam de fotografar paisagens e mostrar a cena inteira, outros preferem concentrar-se nos pequenos detalhes. A macro permite registrar os detalhes, as particularidade que – quase – ninguém vê. A beleza escondida nos pormenores, que passam batidos, a macro revela de forma magnífica. Algumas vezes observadas à distância, como parte do todo, sem atenção especial. Outras vezes, ignorada simplesmente. A graça revelada pelas macros, agigantando miniaturas, transforma o ignorado em esplendoroso.
Muito comumente usada para fotografar flores e insetos, a macro também pode – e deve! – ser testada em outras situações, criando imagens fascinantes. Vamos à algumas dicas!

• Olhe o objeto fotografado de uma maneira que você nunca olhou. Caminhe ao redor dele, descubra ele, explore-o, busque ver o que ninguém mais vê. O que você não vê. Depois disso, escolha o ângulo à fotografar.
• Fotografe flores em macro logo após a chuva. Se a flor estiver muito “ensopada”, dê uns toques leves para que a água caia. Você também pode “criar” as gotas de chuva com o auxilio de um borrifador. Com ele, você pode controlar a distância do esguicho e o tamanho das gotas. Já se for fotografar em um dia de sol, certifique-se que o sol esteja atrás de você – a menos que a intenção seja fazer uma imagem em contraluz. Prefira os horários da manhã e do fim da tarde. Ao meio dia, com sol à pino, a foto poderá sair “chapada”, sem relevos e sem textura.
• ISO: Normalmente as macros são feitas ao ar livre, então, sempre que possível, dê preferência a um ISO menor, para diminuir o ruído e aumentar a nitidez.
• Vento: Ao fotografar na rua, o vento pode atrapalhar um pouco. Você pode utilizar velocidades mais rápidas ou tentar efeitos surrealistas com o vento sobre as flores. Ou pode usar um quebra-ventos – ou o próprio corpo – como proteção.
• Se você não tiver lentes macro ou tubos de extensão, pode usar lentes de aproximação ou mesmo o modo macro de sua câmera. Esse modo é representado por uma florzinha e está presente até mesmo nas câmeras compactas. Se necessário, consulte o manual da sua câmera para mais detalhes sobre a função.
• Outro truque para quem não tem lentes macro específicas: uma objetiva para câmera SLR, usada invertida em uma câmera compacta.
• Em velocidades baixas (inferiores a 1/30s), a chance de “tremer” é maior. Evite ou utilize o tripé e cabo disparador.
• Também é interessante o uso de um tripé e um cabo disparador para reduzir a trepidação. Na ausência do cabo disparador, pode-se ainda usar um controle remoto ou a função timer da câmera. Agora, se não houver um tripé, segure a câmera com firmeza e procure apoiar-se em algo para ter mais sustentação.
• O fundo da imagem também é importante. De preferência a fundos naturais – ou quase.
• Use o diafragma mais fechado (f/16 ou f/22) para aumentar a profundidade de campo, deixando o objeto em cena todo em foco.
• Por outro lado, diafragmas como f/5.6 ou f/4, oferecem profundidade de campo menor, destacando um objeto de interesse na imagem e deixando o segundo plano desfocado.
• Focalize sempre na parte que quer destacar ou no primeiro plano.
• Paciência. Assim como em qualquer área da fotografia, na macrofotografia paciência é fundamenta. A ansiedade só atrapalha, já que a focalização é delicada.
• Use o foco manual. O autofoco é mais lento e pode enganar.

Bem, hoje minhas dicas são essas. Espero que sejam úteis! =)

“Se uma foto não está suficiente boa, é porque você não se aproximou o suficiente do fato.” (Robert Cappa)

Assunto sugerido pela amiga Carla Paiva.
Um abraço, e até a próxima!

Anúncios
 

EXPOCOM 2011 – ETAPA SUL, FOTOGRAFIA PUBLICITÁRIA 29/05/2011

Filed under: Dicas para iniciantes,Editorial — simonezmr @ 14:57
Tags: , ,

Quero aqui, parabenizar a minha colega Nádiane Schiefferdecker que ficou em primeiro lugar na categoria “Fotografia Publicitária” no Intercom Sul 2011, na Expocom.

Ela estava nervosa para apresentar e completamente tensa com alguns problemas do TCC que tem que entregar até terça, 31/05/11. Felizmente, seu conhecimento sobre fotografia e domínio da técnica permitiram que ela tivesse um bom desempenho.

Quero ainda parabenizar os outros candidatos, muitos com fotos incríveis também. Se algum deles estiver lendo o blog, indico que sigam os conselhos da banca. Alguns podem ter sido duros demais e até contraditórios com o que aprendemos na academia, mas acho que tudo que foi falado, contribui sim para a evolução de cada um de nós que ouvimos o que eles falaram.

Apesar de a banca ter dito que “tal coisa não vende”, lembro que estamos na academia, que é o lugar de experimentação. É aqui que podemos experimentar e, justamente, fazer o que não poderemos fazer no mercado. Quanto ao conselho de que “a modelo emagreça 20 kg” achei EXTREMAMENTE desagradável e desnecessário! A moça da foto era bonita (se ela emagrecer 20 kg vai ficar horrível!) e acho que está mais do que na hora de quebrarmos alguns pré-conceitos do mundo da moda. Será que a roupa só vende porque a modelo é magra ou será que está faltando coragem de colocar modelos GG em campanhas publicitárias e de moda? Desculpem, mas realmente achei ABSURDO o que foi dito naquela banca para alguém que está em uma academia, onde aprendemos que devemos QUEBRAR e não REFORÇAR ideias pré-concebidas!

Como quebrar um preconceito, se uma tentativa é criticada de forma tão violenta?

Ah, a modelo que “deve emagrecer 20 kg” aparenta usar, no máximo, um tamanho M…

Um abraço, e até a próxima!

 

PESQUISA, PESQUISA E PESQUISA! 18/05/2011

Filed under: Dicas para iniciantes,Equipamento — simonezmr @ 19:50
Tags: , ,

Beleza, galera!?

Bom, hoje eu vou apenas deixar uma dica, que vocês já devem ter visto ou ouvido milhaaaaares de vezes – alguns talvez até já tenham o hábito: PESQUISEM MUUUUUITO quando quisem comprar ou trocar a câmera de vocês – isso se extende aos acessórios em geral e tudo que faz parte da fotografia.

Estou procurando uma câmera para mim, e como alemoa “pão dura” fui pesquisar o menor preço…

Resultado: fiquei APAVORADA com as diferenças de preço de uma loja para outra. As diferenças chegam a passar de R$ 2.000,00 (sim, dois mil, não pus zero a mais!), e isso falando só em lojas brasileiras, sem pesquisar no exterior, que como vocês sabem, por vezes tem preços muito menores que os nossos!

E mais, pesquisei apenas valores à vista, no parcelamento, com os juros acrescentados, é bem possível que esse valor aumente ainda mais!!

Um abraço, e até a próxima!

 

LIGHT PAINTING – O QUE É 14/05/2011

Filed under: Técnicas — simonezmr @ 13:52
Tags: , , , ,

O light painting é uma técnica de iluminação fotográfica, que em tradução livre significa “pintar com a luz”.

A técnica consiste em movimentar uma fonte de luz, em um ambiente totalmente escuro (ou com pouca iluminação, bem próximo a escuridão), com a câmera programada para uma longa exposição e fixa em um tripé ou outro local que dê firmeza a ela.

Com a fonte de luz – que pode ser desde um isqueiro, até um flash, dependendo do que se planeja – o fotógrafo irá “pintar” o que ele quer que apareça na imagem.

O light painting não tem uma única forma de se fazer. Uma delas consiste em movimentar a fonte de luz na frente da objetiva, criando desenhos formados pelo rastro da luz, como na foto abaixo:

A outra consiste em iluminar um objeto com uma lanterna em movimento, criando um efeito diferente da iluminação contínua ou com flash.

Já nessa terceira foto,movimentei a lanterna atrás do vidro da garrafa:

Material necessário:

– Câmera com recurso de longa exposição;

– Tripé ou outro objeto que dê firmeza à câmera (uma cadeira, uma escada…);

– Lanternas de diferentes potências ou cores, isqueiros, laser, etc.;

– Celofanes de diferentes cores, caso só tenha uma cor de fonte de luz;

– Roupa escura, para não aparecer na cena.

Após decidir o que quer fazer e como utilizar o light painting, coloque a câmera em um lugar firme, programe ela para uma longa exposição, acione o botão disparador e mãos à obra!

Existem grupos no Flickr que trazem amostras excelentes de uso desta técnica. Quem quer conhecer a técnica, também não pode deixar de conhecer o trabalho do fotógrafo Renan Cepeda, que faz fotos incríveis utilizando o light painting.  http://www.renancepeda.com/

“Estou sempre perseguindo a luz. Ela transforma o comum em mágico.” Trent Parke

Um abraço, e até a próxima!

 

50 ANOS LUZ 11/02/2011

Filed under: Não categorizado — simonezmr @ 15:09
Tags: , ,

Buenas galera!? Hoje a dica é para quem quer entender um pouco de iluminação. O livro 50 Anos Luz Câmera Ação, do Edgar Moura trabalha esse tema de maneira fácil e divertida. Duvido que restem dúvidas sobre ataque, compensação e contra luz após sua leitura. Didático e divertido, bom para quem está começando e para quem já está na área! Um abraço, e até a próxima!

 

SOBRE FOTOGRAFIA 09/12/2010

Filed under: Livros e Filmes — simonezmr @ 20:39
Tags: ,

Para quem gosta de fotografia, indico hoje o livro Sobre Fotografia, da autora Susan Sontag. De 1977, a publicação continua muito atual. É um livro que não fala de técnica, mas discute fotografia no seu lado filosófico e conceitual. Trás pontos de vista de grandes fotógrafos, como Cartier-Bresson e Moholy-Nagy.

Fala da perversidade, da fantasia, do que a fotografia significa das pessoas. O ‘medo’ das pessoas de serem fotografadas e toda a realidade que cabe dentro de uma fotografia.

O livro aborda também o “pequeno desentendimento”  da pintura  com a fotografia quando esta começou a ganhar espaço. E, é claro, a pergunta que não quer calar: “Fotografia é arte ou não é?”

De “brinde”, no fim, o leitor ainda ganha uma série de citações sobre fotografia.

“A câmera é meu instrumento. Através dela dou uma razão a tudo o que me rodeia.” (André Kertész)

Um abraço, e até a próxima!

 

QUANDO A BELEZA NÃO TEM CONTEÚDO 17/11/2010

Alguns dias atrás, fui buscar entre minhas imagens, algumas que pudessem fazer parte de um ensaio para enviar ao concurso da Leica-Fotografe.

E foi aí que me dei conta de uma coisa muito importante: quando fotografamos belos lugares, nos encantamos tanto com as belezas locais, que muitas vezes, “esquecemos” o que já foi aprendido e desenvolvido em fotografia. Resultado: belas imagens, imagens de cartão postal, mas sem conteúdo, sem informação ou sem um ponto que chame a atenção.

O fato é que me dei conta de que, o fotógrafo iniciante ou o estudante de fotografia, às vezes faz fotos bonitas, de lugares bonitos, fica encantado com a imagem e não consegue analisá-la criticamente. E em alguns casos, ainda acha ‘duras’ as críticas que recebe.

Na publicidade, costuma-se brincar (ou será que é sério?) que quando morre um publicitário, são necessário dois caixões: um para o falecido e outro para o seu ego. O fotógrafo deve tomar o cuidado de não seguir este mau exemplo. Se começa a pensar que as suas fotos já estão boas e que a crítica é injusta, ele corre o sério risco de parar de aprender e interromper sua evolução. Ele deve saber receber uma crítica construtiva e também ser autocrítico.

Além de todas as regras de enquadramento e composição, ele tem que saber o que quer dizer com aquela foto, qual história quer contar. Ela conta algo para quem a vê ou só o próprio autor sabe o que ele quis expressar?

Conte uma história, um fato. Insira mistério. Acrescente interesse. Claro que se tem o direito de gostar de uma imagem que ninguém compreende. O que não pode, e passar a achar-se gênio incompreendido por conta disso. Dizem, que gênio, é alguém com um bocado de talento, mas que já morreu. Então, aprenda a contar histórias, não apenas fazer cartões postais.

Para finalizar, gostaria de pedir desculpas caso alguém tenha se sentido ofendido com o que escrevi aqui hoje. Não sou mestre em fotografia para ensinar alguma coisa a alguém. Sou estudante de fotografia, dividindo com vocês os meus próprios aprendizados e este post, como já foi dito lá no início, foi baseado em observações que fiz sobre minhas próprias fotos.

Para ilustrar, a foto abaixo, que é uma foto que fiz recentemente. É uma foto que eu acho bonita, segue algumas regras, mas não conta nada para quem vê. Não é possível nem mesmo identificar onde eu estava… 😦 Fazer o quê?! É errando que se aprende. Até o céu queimou (estava com uma compacta, sem muitas opções 😦 ).

“A maioria de minhas fotos é compassiva, bondosa e pessoal. Elas tendem a deixar o espectador ver por si mesmo. Tendem a não fazer pregações. E tendem a não fazer pose de arte.” – Bruce Davidson.

Um abraço, e até a próxima!