Ponto de ouro

Um ponto para falar de fotografia…

Macro: a poesia do detalhe 21/02/2012

Filed under: Dicas para iniciantes,Dicas técnicas,Técnicas — simonezmr @ 21:21
Tags: , ,

Enquanto muitos gostam de fotografar paisagens e mostrar a cena inteira, outros preferem concentrar-se nos pequenos detalhes. A macro permite registrar os detalhes, as particularidade que – quase – ninguém vê. A beleza escondida nos pormenores, que passam batidos, a macro revela de forma magnífica. Algumas vezes observadas à distância, como parte do todo, sem atenção especial. Outras vezes, ignorada simplesmente. A graça revelada pelas macros, agigantando miniaturas, transforma o ignorado em esplendoroso.
Muito comumente usada para fotografar flores e insetos, a macro também pode – e deve! – ser testada em outras situações, criando imagens fascinantes. Vamos à algumas dicas!

• Olhe o objeto fotografado de uma maneira que você nunca olhou. Caminhe ao redor dele, descubra ele, explore-o, busque ver o que ninguém mais vê. O que você não vê. Depois disso, escolha o ângulo à fotografar.
• Fotografe flores em macro logo após a chuva. Se a flor estiver muito “ensopada”, dê uns toques leves para que a água caia. Você também pode “criar” as gotas de chuva com o auxilio de um borrifador. Com ele, você pode controlar a distância do esguicho e o tamanho das gotas. Já se for fotografar em um dia de sol, certifique-se que o sol esteja atrás de você – a menos que a intenção seja fazer uma imagem em contraluz. Prefira os horários da manhã e do fim da tarde. Ao meio dia, com sol à pino, a foto poderá sair “chapada”, sem relevos e sem textura.
• ISO: Normalmente as macros são feitas ao ar livre, então, sempre que possível, dê preferência a um ISO menor, para diminuir o ruído e aumentar a nitidez.
• Vento: Ao fotografar na rua, o vento pode atrapalhar um pouco. Você pode utilizar velocidades mais rápidas ou tentar efeitos surrealistas com o vento sobre as flores. Ou pode usar um quebra-ventos – ou o próprio corpo – como proteção.
• Se você não tiver lentes macro ou tubos de extensão, pode usar lentes de aproximação ou mesmo o modo macro de sua câmera. Esse modo é representado por uma florzinha e está presente até mesmo nas câmeras compactas. Se necessário, consulte o manual da sua câmera para mais detalhes sobre a função.
• Outro truque para quem não tem lentes macro específicas: uma objetiva para câmera SLR, usada invertida em uma câmera compacta.
• Em velocidades baixas (inferiores a 1/30s), a chance de “tremer” é maior. Evite ou utilize o tripé e cabo disparador.
• Também é interessante o uso de um tripé e um cabo disparador para reduzir a trepidação. Na ausência do cabo disparador, pode-se ainda usar um controle remoto ou a função timer da câmera. Agora, se não houver um tripé, segure a câmera com firmeza e procure apoiar-se em algo para ter mais sustentação.
• O fundo da imagem também é importante. De preferência a fundos naturais – ou quase.
• Use o diafragma mais fechado (f/16 ou f/22) para aumentar a profundidade de campo, deixando o objeto em cena todo em foco.
• Por outro lado, diafragmas como f/5.6 ou f/4, oferecem profundidade de campo menor, destacando um objeto de interesse na imagem e deixando o segundo plano desfocado.
• Focalize sempre na parte que quer destacar ou no primeiro plano.
• Paciência. Assim como em qualquer área da fotografia, na macrofotografia paciência é fundamenta. A ansiedade só atrapalha, já que a focalização é delicada.
• Use o foco manual. O autofoco é mais lento e pode enganar.

Bem, hoje minhas dicas são essas. Espero que sejam úteis! =)

“Se uma foto não está suficiente boa, é porque você não se aproximou o suficiente do fato.” (Robert Cappa)

Assunto sugerido pela amiga Carla Paiva.
Um abraço, e até a próxima!

 

LIGHT PAINTING – O QUE É 14/05/2011

Filed under: Técnicas — simonezmr @ 13:52
Tags: , , , ,

O light painting é uma técnica de iluminação fotográfica, que em tradução livre significa “pintar com a luz”.

A técnica consiste em movimentar uma fonte de luz, em um ambiente totalmente escuro (ou com pouca iluminação, bem próximo a escuridão), com a câmera programada para uma longa exposição e fixa em um tripé ou outro local que dê firmeza a ela.

Com a fonte de luz – que pode ser desde um isqueiro, até um flash, dependendo do que se planeja – o fotógrafo irá “pintar” o que ele quer que apareça na imagem.

O light painting não tem uma única forma de se fazer. Uma delas consiste em movimentar a fonte de luz na frente da objetiva, criando desenhos formados pelo rastro da luz, como na foto abaixo:

A outra consiste em iluminar um objeto com uma lanterna em movimento, criando um efeito diferente da iluminação contínua ou com flash.

Já nessa terceira foto,movimentei a lanterna atrás do vidro da garrafa:

Material necessário:

- Câmera com recurso de longa exposição;

- Tripé ou outro objeto que dê firmeza à câmera (uma cadeira, uma escada…);

- Lanternas de diferentes potências ou cores, isqueiros, laser, etc.;

- Celofanes de diferentes cores, caso só tenha uma cor de fonte de luz;

- Roupa escura, para não aparecer na cena.

Após decidir o que quer fazer e como utilizar o light painting, coloque a câmera em um lugar firme, programe ela para uma longa exposição, acione o botão disparador e mãos à obra!

Existem grupos no Flickr que trazem amostras excelentes de uso desta técnica. Quem quer conhecer a técnica, também não pode deixar de conhecer o trabalho do fotógrafo Renan Cepeda, que faz fotos incríveis utilizando o light painting.  http://www.renancepeda.com/

“Estou sempre perseguindo a luz. Ela transforma o comum em mágico.” Trent Parke

Um abraço, e até a próxima!

 

Light Painting 29/11/2010

Filed under: Técnicas — simonezmr @ 15:28
Tags: , ,

Este blog trás uma amostra incrível de light painting…

http://newserrado.com/2010/02/04/isto-no-photoshop-so-exemplos-incrveis-de-light-painting/

Agora, pega a lanterna e vai brincar um pouquinho… :D

Um abraço, e até a próxima!

 

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 524 outros seguidores